19/01/2007

ORGULHO MINISTERIAL- OU A MANEIRA MAIS LEVIANA DE SACUDIR A ÁGUA DO CAPOTE



Homem morreu após viagem de 7 horas
Ministro diz-se «orgulhoso» por não abrir inquérito a transporte demorado
O ministro da Saúde afirmou-se hoje «orgulhoso» pela sua decisão de não instaurar um inquérito ao socorro a um acidentado em Odemira, que esperou sete horas até entrar no Hospital de Santa Maria, e reiterou a confiança no atendimento prestado

Confrontado com as críticas que quinta-feira os deputados da Comissão de Saúde lançaram à sua actuação após o acidente em Odemira, o ministro António Correia de Campos disse que se recusou a abrir um inquérito, pois «isso mais não seria do que encanar a perna à rã».
«Estou convencido, com base nas informações que me foram prestadas pelos serviços envolvidos na operação de socorro, apoiadas em pareceres de especialistas na área, de que foram tomadas as medidas mais adequadas», disse.
Aos profissionais presentes num encontro na Faculdade de Medicina de Lisboa, onde prestou declarações, Correia de Campos garantiu o seu apoio. «Contem comigo para vos defender, mas não para utilizações demagógicas de temas como este», declarou.
Recorde-se que no passado dia 8, um homem sofreu ferimentos graves devido a um acidente rodoviário na zona de Odemira, distrito de Beja, e só deu entrada no hospital de Santa Maria, em Lisboa - onde viria a falecer -, quase sete horas após terem sido accionados os primeiros meios de socorro.

1 comentário:

Anónimo disse...

Se fosse o PAI dele que tivesse tido a infeliz sorte que esse cidadão teve esse ANIMAL do Correia de Campos não falava como falou, mas, como já estamos habituados a ser governados por gente assim.... palavras para quê..