02/01/2007

Solidários com colegas mortos e desaparecidos



A comunidade piscatória das Caxinas, interrompeu hoje a faina e só a retoma quarta-feira, em protesto pela ineficácia dos meios de socorro e em homenagem aos colegas desaparecidos no naufrágio da “ Luz do Sameiro”.
Em declarações prestadas aos órgãos de comunicação social, o presidente do Sindicato das Pescas do Norte, José Meireles disse que “prestar homenagem aos colegas mortos, mas também chamar a atenção para a falta de meios de socorro no mar” . Ainda segundo o O Sindicato da Pesca do Norte foi escrita na passada sexta feira uma carta ao Procurador-Geral da República (PGR) e ao Governo exigindo o apuramento de responsabilidades na alegada morosidade do socorro aos náufragos da "Luz do Sameiro".
Os corpos dos três pescadores já resgatados na praia da Légua chegam às Caxinas entre as 15:00 e as 16:00 de hoje e ficarão em câmara ardente na Igreja do Senhor dos Navegantes.
Os funerais realizam-se quarta-feira, a partir das 15:00, com missa de corpo presente.
Um dos funerais seguirá depois para o cemitério de Vila do Conde, outro para o das Caxinas e um terceiro para o da Póvoa de Varzim
Também Mário de Almeida, presidente da Câmara de Vila do Conde, se mostrou solidário com as exigências dos pescadores e afirmou que a autarquia está disponível para construir um Heliporto desde que o governo disponibilize esse meio para ajuda aos pescadores do norte e em particular desta grande comunidade piscatória

1 comentário:

rouxinol de Bernardim disse...

A ideia de colocar helicópteros em pólos estratégicos é algo de sensato e de urgente. Há que criar estruturas para alojar os hélis (hângares), pessoas capazes de os pilotar e vigilância total 24 horas.

É caro mas imprescindível. Os acidentes nas praias, no verão, poderão ter efeitos menos danosos.

O transporte ao hospital de sinistrados na estrada ou no trabalho será mais rápido e mais eficaz com os helicópteros.

A concentração no Montijo das aeronaves, é um handicap de vulto.

Há que descentralizar e dotar certos locais estratégicos de meios humanos e técnicos capazes de darem satisfação a estes objectivos prioritários.

As lanchas rápidas também são outro segmento a ter em conta.

Há que respeitar quem trabalha!