19/04/2007

Trabalhadoras processam Misericórdia da Póvoa de Varzim

Segundo a noticia vinda a publico no Jornal de Noticias, quatro trabalhadoras da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Varzim vão interpor uma acção judicial contra a instituição no Tribunal do Trabalho de Barcelos. As trabalhadoras, que ontem organizaram uma acção de denúncia à porta da instituição, acusam a Misericórdia de estar a obrigar os funcionários a trabalhar nos dias de descanso complementar (sábado) e obrigatório (domingo), ameaçando com faltas injustificadas e despedimento, e fechando portas à via negocial. "Disseram-nos que a partir de 1 de Janeiro eramos obrigadas a fazer os fins-de-semana e feriados. Nunca fiz fins-de-semana e feriados. Há 17 anos que aqui estou", explicou Elisabete Cruz, ajudante de acção directa da instituição e dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Escritórios e Serviços (CESP). Das mais de duas centenas de trabalhadores, diz Elisabete Cruz, apenas quatro recusaram o acordo. Os outros acabaram por aceitar a mudança. "Os que insistem em não alterar, procuram mudá-los de secção", afirmou o dirigente regional do CESP, António Neto, acrescentando que alterações às condições contratuais iniciais só é possível comacordo. O provedor da Misericórdia , Silva Pereira, afirma que as alterações, que abrangeram apenas as quatro funcionárias, se deveram ao aumento de utentes no apoio domiciliário. Havendo laboração contínua e face à sua categoria profissional, as funcionárias, diz, têm de cumprir. Onde para a " Misericordia" ?

Sem comentários: