10/06/2007

Banca cobra 6,6 milhões por dia em comissões


O Diário de Notícias de hoje revela que os cinco maiores bancos portugueses lucraram 8,7 milhões de euros por dia no primeiro trimestre deste ano, um crescimento de 21% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, em que os ganhos diários se cifravam em 7,1 milhões de euros. Na origem desta subida estão o aumento das taxas de juro e as comissões cobradas aos clientes. Estas últimas subiram 11,8% e atingem agora o valor impressionante de 6,6 milhões de euros por dia. Por outro lado, os custos operacionais (salários e despesas de funcionamento) aumentaram apenas 4,4%.
Os cinco maiores bancos portugueses (Caixa Geral de Depósitos, Millennium Bcp, Banco Espírito Santo, Banco Santander Totta e Banco BPI) aunmentaram em 21% os seus lucros diários, passando de 7,1 milhões de euros para 8,7 milhões de euros.
Segundo o Diário de Notícias há dois factores que contribuem decisivamente para este aumento de lucros. Por um lado, constata-se um aumento de 35,8% na margem financeira dos bancos (diferença entre os juros que os bancos cobram com os empréstimos e as taxas que pagam nas aplicações financeiras) essencialmente devido à subida das taxas de juro. Assim, no primeiro trimestre deste ano os bancos obtiveram por dia 17,8 milhões de euros de margem financeira contra os 13,1 milhões do período homólogo do ano passado.
Por outro lado, o valor das comissões cobradas aos clientes aumentou 11,8%, de 5,9 milhões de euros por dia para 6,6 milhões.
Finalmente, regista-se uma contenção em relação aos custos correntes, sem ganhos salariais significativos para os trabalhadores. Os cinco maiores bancos gastaram 14,2 milhões de euros nas suas despesas de funcionamento, administrativas e com pessoal. Trata-se de um aumento moderado de 4,4%, face ao mesmo período do ano passado, quando estes instituições gastaram diariamente 13,6 milhões de euros.

Sem comentários: