15/10/2007

Desmantelado barco que ardeu há sete anos na Póvoa



Do Jornal Póvoa Semanário


Depois de 7 anos atracado nos estaleiros Irmãos Viana, situados no interior do porto de pesca da Póvoa de Varzim, foi desmantelado o barco “Ângelo & Melanie” que ardeu na madrugada das festas de Nossa Senhora da Assunção de 2000, depois de um espectáculo pirotécnico ter alegadamente provocado o incêndio. Aquele era um local que estava a dar guarida “à prostituição e à toxicodependência”, como referiu José Viana, proprietários dos estaleiros que se cansou de esperar pela decisão do Tribunal e decidiu “acabar com aquele cenário deprimente” que punha em causa a saúde dos trabalhadores “das oficinas de construção e reparação de barcos”. Recorde-se que há sete anos que o dono do barco, António Teixeira, com residência no Algarve, tenta ser indemnizado em “1,5 milhões de euros” pelos prejuízos causados na noite das festas. O Tribunal da Póvoa chegou a condenar o pirotécnico e o juiz da confraria (que entretanto faleceu) a penas suspensas de prisão entre os 18 e os dois anos de, respectivamente, e ao pagamento de uma coima de mil euros devido aos crimes de incêndio negligente.

2 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

Foi o barco queimado... já só falta o POLVO!...

Para quando?...

Anónimo disse...

O Polvo tem a protecção... de quem até agora não julgou o caso.. e o armador vai morrer sem o caso resolvido.