23/01/2008

O PINÓQUIO


Servindo-se de estatísticas de fontes sem idóneidade, o primeiro ministro ultrapassou a barreira do mínimo de razoabilidade, ao afirmar que hoje existem menos pobres, graças aos aumentos de pensões e reformas efectuados.
Mesmo que forçássemos o entendimento ao teor de declarações políticas, as mesmas constituem uma ofensa às pessoas mais carenciadas, as quais já atingem mais de 3.000.000 (três milhões de Portugueses).
Senhor Primeiro Ministro, as suas declarações além de escandalosas, demonstram o seu desinteresse em resolver um problema desta dimensão.
Este é o país europeu onde se viola todos os dias o Direito à Vida, nesse sentido, porque V.Exa., é o Primeiro Ministro eleito pela maioria dos portugueses, V.Exa., não pode alhear-se da miséria em que lança todos os dias mais portugueses.
Se, deseja continuar a ser Primeiro Ministro de um país irreal, defendendo os interesses de 500 famílias muito ricas, se este é o País que representa, V.Exa., não passa de um Ditador que, servindo-se de um processo eleitoral, tomou de assalto o poder.
Se o Sr, Primeiro Ministro deseja retomar o caminho democrático e dar cumprimento ao seu programa eleitoral, poderá alterar as suas políticas e fazer uma viragem.

Sem comentários: