29/01/2008

REMODELADOS...MAIS VALE TARDE DO QUE NUNCA


O primeiro-ministro José Sócrates pediu ao Presidente da República a exoneração dos ministros da Saúde, Correia de Campos, e da Cultura, Isabel Pires de Lima, informa o portal do governo. Para os seus lugares foram indicados, respectivamente, Ana Jorge e José António Pinto Ribeiro. O Secretário de Estados dos Assuntos Fiscais, Amaral Tomás, foi substituído por Carlos Baptista Lobo.
Ana Jorge dirige o serviço de Pediatria do Hospital Garcia de Orta, em Almada. Foi presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, no tempo de Maria de Belém Roseira no ministério da Saúde. À agência Lusa disse que aceitou o convite e que acredita na reforma em curso, bem como no Serviço Nacional de Saúde.
Nas últimas eleições presidenciais, Ana Jorge constava da lista da comissão de honra do candidato Manuel Alegre.
José António Pinto Ribeiro é jurista, presidente do Fórum Justiça e Liberdade e membro da administração da Fundação Berardo.
Depois da notícia sobre a mini-remodelação no governo que colocou Ana Jorge na pasta da Saúde, José António Pinto Ribeiro como ministro da Cultura e Carlos Baptista Lobo no cargo de secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, as reacções não tardaram.
Numa primeira reacção, Francisco Louçã, coordenador da comissão política do Bloco de Esquerda, desafiou o primeiro-ministro José Sócrates a adoptar duas medidas concretas na área da saúde: anular as taxas sobre as cirurgias e os internamentos, e apresentar ao país um mapa completo dos serviços de saúde. Para Louçã, o Bloco de Esquerda não discute nomes de ministros e sim políticas. Quanto a estas, Louçã disse que "há erros políticos graves que têm marcado a insensibilidade social deste governo, há políticas erradas que têm de ser derrotadas"
Para o deputado Manuel Alegre, do PS, "o primeiro-ministro compreendeu as consequências negativas desta política. Espero que esta remodelação tenha um carácter não pessoal mas político", disse, acrescentando que espera que esta remodelação, na área da saúde, traga "a consolidação e reforço do Serviço Nacional de Saúde, uma grande conquista democrática e a principal bandeira socialista".
O porta-voz do PS, Vitalino Canas, elogiou hoje os «nomes prestigiados» escolhidos por José Sócrates para substituir os ministros da Saúde e da Cultura e salientou que «irão reforçar a capacidade governativa» do executivo.
Da parte de Pedro Nunes, Bastonário da Ordem dos Médicos, a remodelação foi uma medida «necessária». Pedro Nunes sublinhou que conhece Ana Jorge há muitos anos e que deposita nela «grande capital de esperança». Na lista de primeiras reacções está também a da antiga directora do Museu Nacional de Arte Antiga que se mostrou satisfeita com a medida. Dalila Rodrigues considera que a saída de Isabel Pires de Lima é «uma excelente notícia».

Sem comentários: