26/02/2008

Cerca de 50 mil assinaturas em defesa do Bolhão



Movimento cívico desloca-se amanhã ao Parlamento


Mais de uma centena de pessoas vai deslocar-se, quarta-feira, a Lisboa, para entregar na Assembleia da República cerca de 50 mil assinaturas em defesa da reabilitação do Mercado do Bolhão, disse hoje à Lusa fonte ligada à iniciativa.
A recolha de assinaturas, efectuada pelo movimento cívico em defesa do Mercado do Bolhão, decorreu ao longo das últimas três semanas no mercado, lojas adjacentes e na Internet. "A ideia é lutar contra o projecto que a empresa TramCroNe (TNC) tem para aquele mercado centenário", disse a fonte, frisando que o movimento cívico defende que "o Bolhão deve ser reabilitado e não demolido".
A Câmara do Porto assinou em 23 de Janeiro um contrato com a TNC que prevê a cedência do edifício por 50 anos. Esta empresa holandesa afirma, no entanto, pretender que o mercado mantenha a traça original e que a área comercial tradicional seja complementada com novas lojas, metade das quais de cultura, lazer e restauração.
Para impedir o início das obras, aquele movimento cívico está também a estudar a possibilidade de entregar em tribunal, também amanhã, uma providência cautelar para travar este processo.
Segundo José Maria Silva, um dos dinamizadores do movimento, a entrega das assinaturas está prevista para as 16:00, hora em que está agendado um encontro com o presidente da Assembleia da República, o socialista Jaime Gama.
A Lisboa deslocam-se "vendedores do Bolhão e pessoas que defendem o mercado", disse José Maria Silva.
O número de assinaturas recolhidas (cerca de 50 mil) "bateu as expectativas" do movimento, que apenas esperava alcançar as 20 mil.

Sem comentários: