31/05/2008

Direcção do Varzim não pagou ordenados em atraso prometidos para hoje



A direcção do Varzim falhou a promessa de liquidar hoje os quatro meses de salários em atraso do plantel, adiantou à Agência Lusa o “capitão” Alexandre. “Não tivemos qualquer contacto, e hoje ainda não consegui falar com ninguém da direcção. Certamente, o problema vai ficar adiado para a próxima semana”, afirmou o jogador. O último pagamento aos atletas do Varzim, relativo ao mês de Janeiro, foi feito há cerca de um mês, mas a direcção do clube prometeu que os vencimentos estariam em dia antes do plantel seguir para férias, o que aconteceu a 15 de Maio. Desde então, passaram-se mais duas semanas, durante as quais os dirigentes poveiros garantiram a regularização da situação, o que não se confirmou. De acordo com Alexandre, a direcção alega um problema burocrático, relacionado com uma certidão, que impede o clube de desbloquear verbas retidas pelo Estado e pela Câmara da Póvoa de Varzim. O Varzim está envolvido num Processo Especial de Conciliação (PEC) com o Estado, para o pagamento de cerca de 1,5 milhões de euros ao Fisco e à Segurança Social, em 60 prestações, o que permitirá aos poveiros comprovar que estão a regularizar as suas dívidas. A Agência Lusa tentou obter declarações junto de vários elementos da direcção do Varzim, que nunca estiveram contactáveis.


E assim vai o nosso Clube gerido por " pseudoempresários " que apenas se estão a auto promover;

Volta Luis Oliveira , Estás perdoado


Já agora acabem de vez com o clube como pretende o Presidente

A 4 de Maio Lopes de Castro dava esta entrevista ao Jornal Record... de facto não tem vergonha de fugir aos atletas---
O presidente do Varzim, Lopes de Castro, mostrou-se hoje favorável a uma regra que impeça os clubes com salários em atraso de disputar as competições profissionais de futebol, como propõe o presidente da Liga, Hermínio Loureiro. "Não conheço a proposta em pormenor para a comentar, mas se o pressuposto final for impedir os clubes com salários em atraso de competir, concordo", disse Lopes Castro à Agência Lusa, apesar de o clube ter três meses de vencimentos em atraso. Lopes de Castro confirma que os vencimentos de Fevereiro, Março e Abril ainda não foram liquidados, mas garante que dentro de "uma ou duas semanas", antes de os futebolistas seguirem para férias, vai ficar "tudo em dia", como "sempre aconteceu" nos seus mandatos. "De uma vez por todas, os clubes não podem deixar passar os salários em atraso de uma época para a outra", afirmou o presidente poveiro, que aponta essa situação como "o verdadeiro drama do futebol português". O timoneiro dos lobos do mar desvalorizou a proposta de Hermínio Loureiro, já que os jogadores têm "a faca e o queijo na mão": "podem recorrer à Comissão Paritária da Liga, que dá razão a quem tem salários em atraso, e o clube fica impedido de competir e de inscrever atletas". De acordo com o dirigente, o plantel do Varzim "conhece a realidade e gere-a bem", já que sabe os créditos que o clube tem a receber, nomeadamente do Estado e da Câmara da Póvoa de Varzim, são "muito superiores às dívidas". "Este clube não tem receitas, estão todas penhoradas, quanto a nós indevidamente, pelas Finanças. Os tribunais já nos deram razão duas vezes, mas acho que nunca vamos ver o dinheiro, centenas de milhares de euros", lamentou. "O Varzim sobrevive com o apoio de empresas e receitas de bilheteira, poucas. Os clubes da Liga de Honra vivem de meia dúzia de carolas", frisou Lopes de Castro, que diz ter apelado a uma reflexão sobre a situação na última Assembleia Geral da Liga. O Varzim vive há vários anos em situação de crise financeira, sendo que o relatório e contas relativo à época desportiva 2006/07 apresenta um passivo de seis milhões de euros.

Sem comentários: