18/09/2009

Nuno Ribeiro, vencedor da Volta, e colegas de equipa apanhados nas malhas do doping



Nuno Ribeiro, vencedor da Volta a Portugal em Bicicleta, e outros colegas de equipa da Liberty Seguros, entre eles Hector Guerra, vencedor da Volta ao Alentejo de 2008, foram "apanhados", num controle efectuado pela União Ciclista Internacional (UCI), antes da prova portuguesa. Os corredores da equipa da União Ciclista da Charneca, patrocinada pela Liberty, acusaram o uso de EPO. A empresa retirou de imediato o patrocínio à equipa.
A Liberty Seguros suspendeu esta madrugada, o apoio à equipa de ciclismo, da União Ciclista da Charneca, face a uma comunicação da União Ciclista Internacional (UCI), que dá conta que vários corredores da equipa, incluindo Nuno Ribeiro, vencedor da Volta a Portugal, “acusaram positivo” em testes efectuados antes desta prova.
Segundo um comunicado da empresa seguradora, assinado pelo CEO, José António Sousa, que durante esta sexta-feira vai chegar à comunicação social, “os testes efectuados pela UCI, revelaram a existência de EPO”. Ao que a Voz da Planície apurou além de Nuno Ribeiro, também Hector Guerra (vencedor da Volta ao Alentejo de 2008) e Isidro Nozal terão sido apanhados nas malhas do doping.
Ao ser informado “durante esta madrugada pela Direcção da equipa” que vários ciclistas da equipa, “terão recebido mensagens em que a UCI lhes comunica terem acusado positivo à substância proibida EPO”, num controle efectuado por esta entidade internacional dias antes da 71ª Volta a Portugal, a Liberty Seguros comunicou “que retira com efeitos imediatos o patrocínio à equipa, e abandona a sua política de apoio a esta modalidade através do patrocínio directo a uma equipa”.
José António Sousa recorda no documento emitido que a Liberty Seguros em Portugal “assinou há 5 anos um contrato de patrocínio com a União Ciclista da Charneca” que foi sendo renovado ano a ano, “com regras duríssimas” aplicáveis a qualquer caso que pudesse violar os valores éticos da empresa, “como é o caso do doping”.
A empresa comunicou à direcção da equipa da Charneca, liderada por Vitor Paulo Branco (maneger) e Américo Silva (director-despotivo) que retira “com efeitos imediatos o patrocínio e abandona a sua política de apoio a esta modalidade através do patrocínio directo a uma equipa”.
Apesar deste “golpe fatal” a empresa assegura que vai “estudar a possibilidade de manter o patrocínio a provas específicas, como o recém-criado Grande Prémio Liberty Seguros, em associação à PAD”, que ontem teve início no Sobral de Monte Agraço, lamentando que esta caso “venha destruir a vida das 20 famílias que dependem do patrocínio à equipa”.
Depois do da “Operação Puerto”, em Espanha, que levou à extinção da Liberty, ex-Once, dirigida por Manolo Sainz, a empresa em Portugal continuou a patrocinar a equipa do Oeste
Após a Volta a Portugal, a Liberty assumiu com a PAD, o patrocínio do antigo Grande Prémio da Extremadura, cuja primeira etapa foi ganha pelo seu corredor Filipe Cardoso e que hoje a partir das 15h30 tem a 2ª etapa, com partida e chegada a Alcobaça.
A seguradora tinha também assumido o patrocínio da “Corrida dos Campeões” a disputar no Funchal no próximo dia 26 de Setembro.
Recorde-se que nos cinco anos que leva no ciclismo a empresa seguradora ganhou este ano pela primeira vez a Volta a Portugal em Bicicleta, através de Nuno Ribeiro, corredor que está a disputar o Grande Prémio Liberty.
Esta temporada a Liberty Seguros tinha ganhou 33 corridas em Portugal e no estrangeiro, entre etapas e prémios, de onde se destacou a vitória de Ribeiro, além dos triunfos de Hector Guerra, no Troféu Joaquim Agostinho e o título de Campeão Nacional de Estrada de Manuel Cardoso.

Questionado esta madrugada, cerca das 01h45, por escrito, via sms, o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (UVP/ FPC) Artrur Moreira Lopes, não respondeu às questões: Confirma vários casos de EPO na Liberty ? A UVP/ FPC foi notificada pela UCI ? Está a UVP/ FPC ao corrente do caso ?

Teixeira Correia

1 comentário:

rouxinol de Bernardim disse...

Será que a contra-análise confirma? e se não confirmar?