25/05/2014

 

Francisco Assis, o cabeça de lista do PS às eleições Europeias, fez a primeira intervenção da noite. Começou por saudar os portugueses que foram votar e os que votaram no PS. Depois disse que "as projeções apontam para uma evidência muito clara, o PS vai ganhar estas eleições". E acrescentou, "estamos perante aquilo que podemos considerar uma verdadeira derrota da direita". Segundo Francisco Assis,  nunca até hoje o PSD tinha ficado abaixo dos 31% dos votos.

"Agora coligado com o CDS vai ficar provavelmente abaixo dos 30%", referiu, sublinhando que isto significa que "os portugueses querem mudar e rejeitam a política que tem vindo a ser seguida desde há três anos". O cabeça de lista do PS disse estar convicto que "só em torno do PS é possível construir uma alternativa". Assis terminou o discurso afirmando que o PS voltou a ser o maior partido político português e que se tinha  reconciliado com o país.

"O país quer mudar e só o PS esta em condições de liderar um projeto de mudança", disse e fez uma saudação especial ao líder do partido António José Seguro, referindo que esta vitória é do partido, mas também do seu líder.
 
a abstenção surge como a grande vencedora: terá oscilado entre 62,2% e 66,6%,podendo ter quebrado mais um recorde histórico.

O cabeça de lista do MPT - Partido da Terra Marinho e Pinto considerou que a sua eventual eleição para o Parlamento Europeu é o "resultado natural" do processo, no qual participou de forma voluntária e consciente.
Ainda assim, o candidato do MPT acabou por dizer que o resultado da sua possível eleição «é natural», uma vez que «candidatou-se para ser eleito». Admitiu ainda que concorreu também com o objectivo de «prestigiar a classe política», defendendo que o «regime está pelas horas da amargura».


O BE considerou que, a confirmarem-se as projeções, o partido alcançou o objetivo principal ao reeleger Marisa Matias, realçando que a direita unida terá menos de 30% e que o resultado de MPT surge do voto de protesto.
No quartel-general do BE para a noite eleitoral, o Fórum Lisboa, a coordenadora Catarina Martins reagia às projeções emitidas pelas televisões às 20:00, que dão o BE a cair em relação a 2009 e a eleger um eurodeputado, posicionando-se atrás do MPT, cujo cabeça de lista é Marinho e Pinto.
"Falamos apenas de projeções. Todas as projeções indicam que aquele que era o objetivo principal do BE, continuar a ter uma voz no Parlamento Europeu, terá sido alcançado e que Marisa Matias será eurodeputada", disse.
 
ELEIÇÕES EUROPEIAS



Todas as sondagens à boca das urnas atribuem a vitória nas Europeias aos socialistas. Resta saber qual o número de mandatos que o PS conquista, sendo que a vantagem face ao PSD não deve ser superior a dois eurodeputados. O partido de Marinho e Pinto afigura-se com um dos vencedores da noite, pois deverá ficar à frente do Bloco de Esquerda.
O PS ganhou as eleições europeias, tal como era esperado. As projecções das televisões apontam para uma vitória a oscilar entre os 32% e os 36%, com a vantagem face à coligação Aliança Portugal deve situar-se entre os três e cinco os pontos percentuais.

As projecções da RTP apontam para a vitória do PS, com um intervalo entre 30 a 34% dos votos. A Aliança Portugal, de acordo com a mesma fonte, fica com entre 25 a 29% dos votos. Esta projecção avança que o PS elegerá entre 7 a 9 eurodeputados, enquanto a Aliança Portugal fica com entre 6 a 8.

Segundo estas projecções da RTP, a CDU fica em terceiro lugar, com entre 12% e 15% e o MPT afigura-se com um dos vencedores da noite, pois ficará em quarto lugar (entre 7 e 8%) e à frente do Bloco de Esquerda (entre 5 a 7%).

Já de acordo com a TVI, que não apresentou números concretos, o PS ganha as eleições europeias. A coligação PSD/CDS, Aliança Portugal, fica em segundo lugar e perde eurodeputados, enquanto a CDU ganha mandatos face a 2009.

Marinho Pinto pode ser eleito para o Parlamento Europeu e o seu partido, MPT, pode ter uma votação superior à do Bloco de Esquerda, que deve eleger apenas um eurodeputado.

A TVI avança ainda que a abstenção deverá ficar acima dos 65%